As atividades da semana​

Em tempos de guerra na Europa e aumento do discurso do ódio no país, a Semana Gernika Viva joga luz a necessidade da paz ao relembrar os 85 anos do bombardeio nazifascista à cidade basca de Guernica. O evento que acontece em São Paulo busca celebrar a resistência contra a barbárie imortalizada na obra do artista Pablo Picasso e traz oficinas culturais, debates, exposições e atos pela paz.

Idealizada pela Casa Gernika Brasil, a Semana agrega o apoio e a participação de organizações, coletivos, associações, casas bascas, instituições públicas e importantes entidades da sociedade civil. Serão atividades presenciais e on-line espalhadas pela cidade entre os dias 26/4 (dia do bombardeio) e dia 2/5. Acompanhe a programação, inscreva-se e participe. 

[Dia 1] • 26/4 • Terça-feira • 19h

Abertura oficial da Semana Gernika Viva

Onde: Câmara Municipal de São Paulo – Auditório Prestes Maia – Palácio Anchieta – Viaduto Jacareí, 100 – Centro 

Hora: 19h 

Inscreva-se aqui

Um dia para lembrar Guernica e cultivar a paz

No dia 26 de abril de 1937, 40 toneladas de bombas caíram do céu e arrasaram 70% da cidade de Guernica, no País Basco, norte da Espanha. O ataque foi o 1º bombardeio em massa direcionado a uma população civil e antecedeu às atrocidades da Segunda Guerra Mundial. O massacre foi orquestrado pelas mãos dos ditadores Franco, Hitler e Mussolini e causou morte e destruição, inaugurando um capítulo sombrio da humanidade. 

Para tornar o dia um símbolo de combate à barbárie, a violência e o autoritarismo, a Câmara Municipal inicia a instituição no calendário oficial da cidade do “Dia Guernika Viva” – projeto de Lei nº 131 de 2021, de autoria do Vereador Toninho Vespoli (Psol) –, em memória aos mortos pelo fascismo e em lembrança pela Paz. O evento oficial de abertura terá pronunciamento de Ana Rosa Abreu, coordenadora do Instituto Vladimir Herzog, Oskar Goitia, presidente da Casa Basca Brasil e do vereador Vespoli, entre outros representantes e convidados. 

[Dia 2] • 27/4 • Quarta-feira • 9h

Exposição “Sementes contra o ódio”

Onde: Museu da Imigração – Sala do Acolhimento. Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca. Data 27/04 a 03/05.

Hora: De terça à domingo das 9h às 17h. Domingo das 10h às 17h.

Mais informações e condições de preço e gratuidade clique aqui

 

A diáspora basca: pós Gernika, rumo ao Brasil

A guerra civil espanhola e a vitória do governo fascista expulsou milhares de refugiados e migrantes da Espanha para o mundo. Dentre os homens, mulheres e crianças que buscavam refúgio, estavam famílias bascas que chegaram ao Brasil e aqui formaram uma comunidade de solidariedade que fincou raízes em São Paulo entre outras cidades.

Para contar um pouco da história entre o povo basco e o Brasil, a exposição “Sementes contra o ódio” traz os detalhes do bombardeio na cidade, as repercussões na mídia brasileira e internacional da época e a repercussão do épico quadro de Picasso. As histórias de alguns bascos que fugiram a partir dos acontecimentos também são retratados em depoimentos e fotos que contam um capítulo pouco conhecido das relações entre o bombardeio de Guernica e os migrantes bascos em São Paulo.

[Dia 3] • 28/4 • Quinta-feira • 19h

A emergência dos neofascismos e o uso das redes sociais

Onde: FESP – Escola de Humanidades – Fundação Escola de Sociologia e Política  

Rua General Jardim, 522 – Vila Buarque 

Hora: 19h

Para pensar o fascismo ontem, hoje e amanhã

Depois de 85 anos, o autoritarismo renasce com força em novas abordagens contra a democracia e a sociedade civil organizada. O neofascismo e suas vertentes faz rearranjos geopolíticos em guerras híbridas e torna a violência e a cultura do ódio em algo normalizado em nosso cotidiano nas redes sociais. Para buscar compreender esses fenômenos locais e globais, a FESP – Fundação Faculdade de Sociologia e Política acolhe a Semana Gernika Viva e promove duas atividades abertas ao público: 

O Professor Sérgio Amadeu, da UFABC, autor de vários livros sobre o tema aborda o aparecimento do fascismo digital que ocorre há mais de uma década no país em debate com a Professora Isabela Kalil, da FESP – Faculdade de Sociologia e Política, os riscos desse fenômeno no Brasil, especialmente em ano eleitoral.
 

[Dia 4] • 29/4 • Sexta-feira • a partir das 19h

Noite cultural e show pela união entre os povos

Onde: Al Janiah – Espaço cultural, restaurante bar  

Rui Barbosa, 269 – Bela Vista

Hora: A partir das 19h 

* O evento está inserido dentro da programação da casa. Informações sobre acesso e preços devem ser consultados no site https://www.aljaniah.com.br/

Povos sem nação unidos: bascos e palestinos no Brasil

Os bascos são considerados um dos povos mais antigos da Europa, com língua e cultura ancestral. E essa foi uma das razões pelas quais Guernica foi escolhida para ser alvo do bombardeio. A cidade era um reduto histórico, orgulho do povo e símbolo de um nação com território, mas sem Estado formalizado. Situação igual ao povo palestino, com cultura própria e que foram expulsos de sua terra e local sagrados.
 

Para celebrar a cultura dessas duas nações em terras paulistanas, o espaço cultural e restaurante Al Janiah recebe na noite de sexta-feira, artistas para simbolizar a união dos povos e a diáspora dos bascos e palestinos no país. O espaço convida a todos a celebrar a arte e a música pela paz e a autodeterminação dos povos no reduto dos refugiados arábes na capital paulistana. 

A noite conta ainda com o lançamento do poema “Pacificação” de Angelo Asson, recitado pelo ator André Patrício e a intervenção artística de Lady Brow reinterpretando a tela do quadro Guernica de Picasso. Tudo dentro da programação “Buarque-se”

[Dia 5] • 30/4 • Sábado • 10h e 15h

Oficina aberta de colagem e bate-papo sobre a arte contra a opressão

Onde: Biblioteca Alceu Amoroso Lima 

Rua Henrique Schaumann, 777 – Pinheiros

Hora: 10h às 12h –  Oficina aberta de colagem 

Hora: 15h às 16h – Debate a arte contra a barbárie 

Atividade limitada. Necessária inscrição prévia aqui

A arte contra a barbárie

Guernica é a árvore símbolo dos bascos, a cidade do norte da Espanha e dá nome ao quadro de Picasso. Esse carvalho espanhol está plantado ao lado do Parlamento Basco que foi palco de juramentos e assembleias no passado. Durante o bombardeio, de forma surpreendente, a árvore permaneceu de pé frente aos bombardeios e desde então gerou frutos de outras mudas espalhadas por Euskadi e pelo mundo.

 

A Sociedade Brasileira de Colagem se juntou a Semana Gernika Viva para promover uma oficina de colagem aberta e relembrar e resignificar a tela de Picasso no Brasil. A oficina contará com facilitadores que ensinarão técnicas de colagem enquanto se inspiram no tema da Semana. Depois da atividade, o anfiteatro da Biblioteca Amoroso Lima acolhe um encontro “A Arte contra a barbárie” com grandes nomes da ilustração no Brasil que debatem o poder da arte como ferramenta de contestação do autoritarismo e da violência ontem e hoje. 

[Dia 6] • 1/5 • Domingo• 10h

Ato pela paz nas árvores de Gernika em São Paulo

Onde: Horto Florestal 

Diretoria do Instituto Florestal, Avenida Luis Carlos Gentile de Laet 553,
entrada ao lado do Posto de Saúde do Horto Florestal
 

Hora: 10h

Homenagem aos caídos sob a árvore de Gernika

Guernica dá nome ao quadro de Picasso, a cidade e a árvore símbolo dos bascos. Esse carvalho espanhol está plantado ao lado do Parlamento Basco de hoje e foi palco de juramentos e assembleias no passado. Durante o bombardeio, de forma surpreendente, a árvore permaneceu de pé frente aos bombardeios e desde então gerou frutos de outras mudas espalhadas por Euskadi e o mundo. 

Duas dessas árvores se encontram na cidade de São Paulo. Uma delas está plantada na Euskal Alkartasuna de São Paulo, ou Casa Basca, local fundado em 1954 por migrantes bascos e palco da fraternidade de gerações de bascos brasileiros localizada em uma chácara em Interlagos. A outra muda está no Horto Florestal e foi plantada pela Euskal Etxea Brasil em 2019. No ato de domingo, um ato pela paz será celebrado sob a sombra da Gernika plantada na cidade.

[Dia 7] • 2/5 • Segunda-feira • 12h

Colagem de Lambe-Lambe do quadro de Gernika em Itaquera

Onde: CIFA: Centro Itaquerense de Famílias Amigas

Rua Flores do Piauí, 170

Hora: 12h

Mural Gernika é aqui

O quadro de Guernica tem 7,77 m por 3,49m e está no Museu Reina Sofia em Madrid. Durante a ditadura de Franco, ficou no MOMA de Nova York e retornou a Espanha apenas após a redemocratização do país, em 1975. A obra já esteve no hemisfério sul, em 1954, na 2ª Bienal de São Paulo. Na época foi uma grande repercussão e um marco para a capital paulistana.

Para relembrar e celebrar a Semana Gernika Viva, um mural das mesmas dimensões será criado em técnica ”Lambe Lambe” com centenas de peças formando uma enorme representação ao ar livre no bairro de Itaquera, na periferia de São Paulo. A intervenção será realizada no muro da Associação Comunitária CIFA, fundada há 52 anos por um padre basco em missão ao Brasil. A imagem celebra o fim da Semana e simboliza as ações na cidade nos 85 anos do bombardeio.